USO ABUSIVO DO ÁLCOOL ENTRE OS IDOSOS E O OLHAR PSICOSSOCIAL                                                                                        

O consumo de álcool na sociedade contemporânea é visto predominantemente de forma positiva no meio social por não ser considerada uma droga ilícita, dificultado assim o reconhecimento de determinados padrões de consumo. É o beber moderado, é o beber social que tem levado à níveis mais altos, causando alterações físicas e psicossociais no indivíduo. No entanto, o usuário não percebe esse quadro doentio causado pelo consumo exagerado do álcool. O uso abusivo de álcool pode acelerar o processo normal de envelhecimento do cérebro provocando maiores efeitos físicos e psíquicos nos idosos, quando consumem uma quantidade de álcool maior ao recomendado tornando assim o organismo mais sensível a essa droga.

O envelhecimento também interfere na capacidade do organismo se adaptar à presença do álcool, ou seja, tolerar o álcool. Apesar disto, idosos podem começar a ter problemas pelo uso do álcool mesmo que o seu padrão de uso continue o mesmo. O avançar da idade interfere na sensibilidade ao álcool, muito embora os idosos consigam metabolizar e eliminar o álcool de modo eficaz, eles apresentam um maior risco de intoxicação e efeitos adversos pelo álcool. Tanto o envelhecimento como o alcoolismo produzem déficits semelhantes no funcionamento intelectual e comportamental.

 

 

Continue Lendo..