Como podemos prevenir o suicídio?

Hoje resolvemos falar de um tema complexo e pouco atrativo e porque não dizer omitido por muitos? “O suicídio”. Um assunto que evitamos falar e que vem crescendo em silêncio assustadoramente.

No Brasil acontecem em média mais de 1(um) suicídio por hora, contabilizando 26(vinte e seis) suicídios por dia, num total de 9000 pessoas por ano. (BERLOTTE,2012).

Em uma comparação similar estamos falando de 1 (um) navio naufragando por mês com 780 vítimas fatais e tudo isso sem nenhuma divulgação ou prevenção.

FATORES:

O suicídio é multifatorial, ou seja, apresenta vários fatores que podem ser causas econômicas, religiosas, sociais, ambientais, culturais, psicológicas, psiquiátricas, etc.

Existe uma relação intrínseca entre transtornos psiquiátricos e suicídio. Estima-se que 90% dos indivíduos que tentaram ou que cometeram suicídio satisfaziam os critérios para transtornos psiquiátricos, tendo até 60% deles desordem afetiva diagnosticável (WASSEMAN, 2001; WASSERMAN: 2009 HENRIKSOON et al, 1993).

COMO INTERVIR:

O Suicídio é um problema de saúde pública que pode e deve ser combatido. Acreditamos que grande parte das pessoas que pensam, tentam ou comentem suicídio poderiam escolher outra forma de solucionar os seus problemas, porém não encontram-se em condições no momento de identificar isso sozinhas.

Na maioria dos casos o suicídio não é uma decisão repentina, mas sim algo planejado, a pessoa constrói um plano e pensa nessa possibilidade ao longo de algum tempo.

Se você conhece alguma pessoa nesta situação seja um bom ouvinte reconhecendo o sofrimento e sua disponibilidade em ouvir e ajudar.

Compreenda o que o outro diz pelo ponto de vista do seu sofrimento e reforce o quão importante esta pessoa é para si mesma e para os outros.

Questione abertamente sobre suas intenções e incentive-a buscar ajuda especializada.

Verbais:

“““ ““ Eu quero morrer”, “Eu vou me matar”,” Gostaria de estar morto”, Se isso acontecer novamente acabarei com tudo”,” A morte resolveria tudo”, Você sentirá saudades quando eu partir”, “Logo você não precisará mais se preocupar comigo”, “Ninguém mais precisa de mim”.

ALGUNS SINAIS DE ALERTA:

Comportamentais:

Ameaça de suicídio ou expressão de forte desejo de morrer.

Sinais depressivos, oscilação do humor, ansiedade, dor psíquica, estresse.

Isolamento social, família, amigos, eventos sociais.

Impulsividade e interesse por situações de risco.

Desfazer-se de objetos importantes.

Despedir-se de parentes e amigos,

Choro constante.

Fazer testamentos, seguros de vida.

COMO LIDAR COM A PERDA:

Não se sinta culpado, é natural que você sinta que poderia ter observado, ter percebido, ter agido diferente.

Essa é uma decisão única, da própria pessoa que cometeu o ato, a culpa não é sua. A responsabilidade de evitar o fato não cabia a você.

Se de alguma forma você se identificou com esta matéria ou conhece alguém nesta situação peça ajuda. Existem vários profissionais prontos para lhe dar a ajuda necessária que lhe respeitarão. Depressão não é frescura, a banalização ou o silêncio podem ser letais.

OBS: CVV 141 – Centro de Valorização a Vida também pode lhe oferecer apoio emocional.

 

Lúcio Mário Silva – Psicólogo. CRP – 06/122806

Ionice Alves Lourenço  – Psicóloga. CRP – 06/112412